Seja Diplomata, Faça Sapientia Recorde de Aprovação no CACD

Matricule-se Agora

Conteúdo Sapiente

Complemente seu Estudo



Fatos Históricos

196 anos da Questão de Chiquitos

196 anos da Questão de Chiquitos

Conteúdo postado em 04/08/2021

Olá, sapientes!

 

Que o Primeiro Reinado foi um período histórico turbulento, isso todo mundo já sabe, né? E um desses desafios que o Império teve que enfrentar foi a Questão de Chiquitos com a Bolívia. Por isso, vem com a gente descobrir ou revisar o que foi esse episódio da política internacional brasileira!

 

O Governador de Chiquitos, Sebastião Ramos, era um monarquista ferrenho que não quis aceitar a independência do Alto Peru, hoje Bolívia, em 1825. Seja pelo desejo de defender seus princípios de lealdade ao trono espanhol, seja por medo de perder o poder, o fato é que o governador de Chiquitos recorreu à proteção do Império brasileiro contra os revolucionários republicanos da América espanhola. 

 

A proposta de Sebastião Ramos

 

A proposta de Sebastião Ramos era de colocar a província sob a proteção do Império brasileiro, com a manutenção da autonomia do poder local, até a retomada do trono e, consequentemente, do domínio da América espanhola por Fernando VII. Nessa história, Chiquitos acaba sendo anexada, em 1825, à fronteiriça Província do Mato Grosso por Manuel Veloso Vasconcelos, Comandante das Armas da Província e Secretário do Governo Provisório de Mato Grosso, sem antes informar nada sobre a anexação ao governo central do Rio de Janeiro.

 

A retirada das forças brasileiras da região

 

Meses depois, D. Pedro I é informado, por via oficial, da situação da fronteira e da tensão com as repúblicas vizinhas e decide ordenar a retirada imediata das forças brasileiras da região. O governo central não aceita a anexação para evitar conflitos com os exércitos libertadores de Simon Bolívar e Antônio José de Sucre e com as novas repúblicas. 

 

Ainda assim, a decisão do imperador não evitou consequências negativas para a diplomacia brasileira. Juntamente com a guerra da Cisplatina, ocorrida nesse mesmo ano, a questão de Chiquitos gerou uma forte desconfiança dos vizinhos em relação ao império e piorou a imagem da monarquia da região. Muitos políticos e historiadores das repúblicas vizinhas por décadas defenderam que o império brasileiro era expansionista, o que favoreceu o isolamento regional do Brasil até a instauração da Primeira República.

 

Se tornar um diplomata é o seu objetivo?


Para você que está começando agora sua preparação para o CACD e também para você que já se prepara há algum tempo e busca uma estratégia de estudos dinâmica e eficiente, o Sapientia acaba de lançar a Trilha Regular Extensiva (TRE), um programa pensado para otimizar sua preparação, perpassando todos os itens do edital do concurso de forma sólida e pragmática. A TRE utiliza o que há de melhor dos recursos multimídia para unir teoria, prática e aprofundamento. Curtiu a ideia?

 >>> Conheça mais sobre nosso mais novo curso regular clicando aqui.

Bons estudos e boas leituras!

sugestao-de-leitura-para-o-cacd-o-quinze

ARTIGOS RELACIONADOS