Seja Diplomata, Faça Sapientia Recorde de Aprovação no CACD

Matricule-se Agora

Conteúdo Sapiente

Complemente seu Estudo



Fatos Históricos

85 anos da ascensão de Hitler ao comando supremo do III Reich

85 anos da ascensão de Hitler ao comando supremo do III Reich

Conteúdo postado em 07/08/2018

Como Hitler chegou ao poder? O processo ocorreu ao longo de várias décadas. A origem do fascismo alemão remontam a 1919 da fundação do Partido Nacional-Sociallista dos Trabalhadores Alemães (NSDA).

 

A ascensão de Hitler ao poder começa, então, quando ele se envolve politicamente e se junta ao Deutsche Arbeiterspartei. Já é sabido que Hitler era um excelente orador e que cercava de pessoas que, como ele, não tinham medo de usar a violência para cumprir seus objetivos políticos. Assim, Hitler logo se destacou e chegou a liderança do partido.

 

Ascensão do Partido Nazista


Visão Geral

 

No início dos anos 1930, o clima na Alemanha era sombrio. A depressão econômica mundial atingiu o país e milhões de pessoas ficaram desempregadas. Ainda fresca na mente de muitos estava a humilhante derrota da Alemanha quinze anos antes, durante a Primeira Guerra Mundial.

 

Além disso, os alemães já não tinham confiança em seu fraco governo, conhecido como a República de Weimar. Essas condições proporcionaram a oportunidade para o surgimento de um novo líder, Adolf Hitler e seu partido, o Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães, (NSDA) ou o Partido Nazista, abreviado (NAZI).

 

Já é cediço que Hitler era um orador poderoso e fascinante que atraía muitos seguidores alemães desesperados por mudanças. Ele prometeu aos desiludidos uma vida melhor e uma nova e gloriosa Alemanha (quase um Germany great again! Entendeu?). Os nazistas apelaram especialmente aos desempregados, jovens e membros da classe média baixa.

 

A ascensão do partido ao poder foi rápida. Antes da depressão econômica, os nazistas eram praticamente desconhecidos, ganhando apenas 3% dos votos para o Reichstag (parlamento alemão) nas eleições de 1924. Nas eleições de 1932, os nazistas conquistaram 33% dos votos, mais do que qualquer outro partido.

 

Papen, que queria a posição de vice-chanceler e achava que poderia controlar Hitler, convenceu Hindenburg a formar uma coalizão com os nazistas e nomear Hitler como chanceler. Hindenburg finalmente cedeu e, em janeiro de 1933, nomeou Hitler como chanceler – o chefe de governo alemão. Para muitos alemães, acreditavam ter encontrado o salvador da pátria.

 

A última tentativa de Hitler pelo poder foi quando ele negociou com os membros do Reichstag para lhe dar poderes temporários de “emergência” por quatro anos, permitindo que ele agisse sem o consentimento do parlamento ou da constituição alemã.

 

Enquanto as negociações estavam ocorrendo, sua grande força militar cercava o parlamento com a ameaça de guerra, caso recusassem. Eles não tiveram muita escolha, mas concederam-lhe o que ele queria e Hitler tornou-se o governante absoluto da Alemanha.

 

Pensei em um método diferente para relembrarmos alguns mommentos marcantes da trajetória de Hitler ao comando do III Reich. Por que não uma Linha do Tempo?

 

LINHA DO TEMPO – DATAS IMPORTANTES

 

28 de junho de 1919

TRATADO DE VERSALHES TERMINA A GUERRA MUNDIAL I

 

Alemanha derrotada é forçada pelas potências vencedoras (EUA, GB, FRA e aliados) a assinar o tratado. Entra em recessão econômica severa por conta das altas indenizações de guerra.

 

24 de outubro 1929
CRASH DA BOLSA DE VALORES EM EM NOVA IORQUE


A “Grande Depressão”, como é chamada, desencadeia uma crise econômica mundial. Na Alemanha, seis milhões estão desempregados em junho de 1932. O estresse econômico contribui para uma ascensão meteórica no apoio ao partido nazista.

 

Como resultado, o partido nazista ganha os votos de quase 40% do eleitorado nas eleições do Reichstag (parlamento alemão) de julho de 1932. O partido nazista torna-se neste momento o maior partido do parlamento alemão.

 

6 de novembro de 1932
NAZIS PERDEM APOIO NAS ELEIÇÕES PARLAMENTARES


Nas eleições do Reichstag (parlamento alemão) de novembro de 1932, os nazistas perdem quase dois milhões de votos nas eleições anteriores de julho. Eles ganham apenas 33% dos votos. Parece claro que os nazistas não obterão maioria em eleições democráticas e Adolf Hitler concorda com uma coalizão com os conservadores.

 

Após meses de negociações, o presidente da Alemanha, Paul von Hindenburg, acaba por indicar Hitler, um adversário partidário, como chanceler da Alemanha em um governo aparentemente dominado pelos conservadores em 30 de janeiro de 1933.

 

27 de fevereiro de 1933
INCÊNDIO DO EDIFÍCIO DO REICHSTAG (PARLAMENTO ALEMÃO)


Depois de afirmar que os comunistas cometeram o incêndio que destruiu o edifício do Reichstag alemão em Berlim, Adolf Hitler usa o incidente para assumir poderes exorbitantes na Alemanha.

 

Hitler convence o presidente alemão, Paul von Hindenburg, a declarar estado de emergência. Com isso, liberdades pessoais constitucionalmente protegidas são suspensas.

 

5 de março de 1933
NAZISTAS NÃO CONSEGUEM FORMAR MAIORIA NAS ELEIÇÕES DO REICHSTAG


Apesar do estado de emergência declarado em fevereiro de 1933 e dos poderes extraordinários assumidos por Adolf Hitler, os nazistas não conseguem uma maioria governista nas eleições parlamentares.

 

Os nazistas ganham apenas cerca de 45% dos votos. Mais tarde, em março de 1933, Hitler apresenta um projeto de lei que daria ao seu governo o poder de decretar leis sem submetê-las a uma votação no parlamento alemão. O projeto de lei vai passar, em parte por causa da prisão de muitos opositores comunistas e socialistas antes da votação do projeto.

 

23 de março de 1933
O REICHSTAG VOTA PODER LEGISLATIVO PARA HITLER


Depois do fracasso do partido nazista em ganhar a maioria no parlamento, Adolf Hitler apresenta um projeto de lei que daria autoridade legislativa a seu governo. Os nazistas, os conservadores e o Partido do Centro Católico apóiam o chamado “Enabling Act”, que daria ao governo de Hitler o poder de decretar leis sem votação do parlamento por um período de quatro anos.

 

Comunistas e muitos oponentes socialistas foram presos antes da votação. Ao final, apenas os restantes socialistas se opõem à medida. A proposta passa. Hitler, então, proscreve todos os partidos políticos na Alemanha – exceto o Partido Nazista.

 

30 de junho de 1934
NOITE DAS FACAS LONGAS


Ocorre um expurgo da liderança do Storm Trooper (SA) e outros supostos oponentes do regime de Adolf Hitler. Essa expulsão ficou conhecida como a “Noite das Facas Longas”. Mais de 80 líderes da SA são presos e baleados sem julgamento prévio. Hitler afirma que o expurgo é uma resposta a um complô da SA para derrubar o governo. A SA, sob a liderança de Ernst Roehm, procurva tomar o lugar do exército alemão. A remoção de Roehm garante maior pretígio a Hitler frente ao exército.

 

2 de agosto de 1934
MORRE AOS 87 ANOS O PRESIDENTE VON HINDENBURG


O presidente alemão Paul von Hindenburg morre aos 87 anos de idade. Após a morte de Hindenburg, Adolf Hitler assume os poderes da presidência. O exército faz um juramento de lealdade pessoal a Hitler.

 

A ditadura de Hitler, portanto, repousa sobre sua posição como presidente do Reich (chefe de Estado), chanceler do Reich (chefe de governo) e Fuehrer (líder do partido nazista). O título oficial de Hitler agora é “Fuehrer and Reich Chancellor”.

 

Tecnicamente, a nação era ainda uma república. Enquanto von Hindenburg viveu não se atentou contra a sua posição de presidente.

No entanto, com a morte do então mandatário alemão, Hitler cumulou às funções de chefe de governo as funções de chefe de Estado, tornando-se líder supremo do Terceiro Reich. Com o consentimento da nação, expresso em plebiscito, adotou o novo título de Fuhrer und Reichskanzler (Líder e Chanceler do Reich).

 

O parlamento alemão foi conservado, ao menos no papel. Passou, entretano, a ser um órgão unicameral, constituído somente pelo Reichstag (Câmara Alta). Com o tempo, após a abolição dos direitos estatais, o Reichstag tornou-se supérfluo, logo acabou sendo extinto em 1934.

 

Isso não significou muito, já que a função do Reichstag era raramente convocado e desempenhava função meramente ilustrativa, já que não possui poder algum.

 

OBS.: Gostaria de encerrar com um alerta. Caso se depare com uma assertiva que afirme que Hitler ascendeu ao poder a partir de um golpe militar, claramente estaremos diante de um erro. Atenção! Do ponto de vista político, todavia, poderíamos certamente validar alguma assertiva que trouxesse a leitura de que a assunção de Hitler ao poder foi um golpe político. Um salve ao constitucionalista Carl Schmitt!

 

Espero que tenham gostado!

ARTIGOS RELACIONADOS