Seja Diplomata, Faça Sapientia Recorde de Aprovação no CACD

Matricule-se Agora

Conteúdo Sapiente

Complemente seu Estudo



Dicionário de Economia para o CACD

Dicionário de economia para o CACD: resultados do comércio

Dicionário de economia para o CACD: resultados do comércio

Conteúdo postado em 21/03/2022

Olá, sapientes!

 

Entender bem as relações comerciais do Brasil pode ajudar a resolver as questões de economia e política internacional da prova do CACD. É por isso que vamos começar a semana analisando os principais resultados comerciais dos últimos anos nas relações com os nossos maiores parceiros comerciais. 

 

Em 2020, soja e café torrado se destacaram como principais produtos exportados. Os dois serviram de ferramenta para alavancar o setor agrícola sobre o total exportado. Depois, de 2021 até a 2º semana de março de 2022, as exportações gerais continuaram crescendo, registrando um aumento de 38,2% em comparação com o mesmo período do ano passado.

 

Essa melhora nas exportações foi puxada, principalmente, pelo crescimento nas vendas de trigo e centeio não moídos, café não torrado e soja. Por outro lado, aeronaves e outros equipamentos, além de minério de ferro e de cobre, registraram queda nas vendas.

 

Principais Parceiros Comerciais

 

China - 1º no Ranking de Exportações e Importações 

As exportações e importações para a China, em Hong Kong e Macau continuam crescentes. Mesmo em 2020, quando houve uma grave queda no comércio com outros importantes parceiros, as trocas com a China continuaram crescentes. Isso pode ser justificado pela China ter se recuperado da primeira onda de Covid-19 antes da maior parte dos países ocidentais. No entanto, o superávit alcançado no período de Jan-Fev 2022 foi um pouco menor que o superávit de 2021.

 

Produtos Exportados para China (em ordem decrescente de quantidade)

- Soja;

- Óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos, crus;

- Minério de ferro e seus concentrados;

 

Estados Unidos - 2º no Ranking de Exportações e Importações

As trocas comerciais entre Brasil e Estados Unidos registraram em 2020 o menor resultado desde a crise financeira de 2009, uma queda de 23,8% em relação a 2019. Isso somado a um avanço no déficit comercial brasileiro com o parceiro norte-americano naquele ano, mas que continua nesses dois anos posteriores. Em 2022, as exportações para os Estados Unidos voltaram a crescer, assim como as importações.

 

Produtos Exportados (em ordem decrescente de quantidade)

- Produtos semi-acabados, lingotes e outras formas primárias de ferro ou aço entre 2020 e  2021 - houve queda desse tipo de produto em 2020, mas em 2021 o crescimento já superou o valor de comercializado em 2019. Há expectativa de continuação do crescimento em 2022;

- Óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos, crus - superou em Jan-Fev/2022 o valor exportado de produtos semi-acabados, sendo o valor das exportações de Jan-Fev/2022 mais que o dobro de Jan-Fev/2018;

 

Produtos Importados (em ordem decrescente de quantidade)

- Gás natural, liquefeito ou não - superaram o valor das importações de Óleos combustíveis de petróleo ou de minerais betuminosos (exceto óleos brutos) em 2022, que foi o principal produto importado no ano passado;

 

 

União Europeia

As exportações para a União Europeia também tiveram queda expressiva em 2020. O mesmo foi percebido com a importações, resultando em uma consequente redução do déficit comercial brasileiro com o bloco. Em 2021, o déficit brasileiro continuou a persistir. Este ano, porém, as vendas para a União Europeia voltaram a crescer, da mesma forma que as importações. O resultado disso foi um superávit de US$ 0,38 bilhões para o Brasil.

 

Produtos Exportados (em ordem decrescente de quantidade)

- Óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos, crus;

- Café;

- Farelos de soja e outros alimentos para animais (excluídos cereais não moídos), farinhas de carnes e outros animais;

 

Produtos Importados (em ordem decrescente de quantidade)

- Medicamentos e produtos farmacêuticos;

- Partes e acessórios dos veículos automotivos;

- Demais produtos - Indústria de Transformação;

 

Os principais destinos de nossos produtos exportados são Holanda (6º  Ranking de Exportações por causa do porto de Rotterdam), Espanha e Alemanha, respectivamente. E as principais origens do que importamos são Alemanha, Itália e França. 

 

Argentina

3º no Ranking de Exportações em 2022 e 2021, e 4º no Ranking de Importações em 2022. Neste ano, a Alemanha assumiu o 3º no Ranking de Importações, que era da Argentina.

 

O comércio com a Argentina havia registrado uma acentuada queda em 2020, mas está em recuperação desde 2021. Deficitária em 2021, a balança comercial brasileira com esse país já começou 2022 superavitária. Houve um aumento nas exportações para a Argentina e diminuição de importações com origem no nosso vizinho entre Jan-Fev 2022 em comparação com o mesmo período do ano passado.

 

Produtos Exportados para Argentina (em ordem decrescente de quantidade)

- Partes e acessórios de veículos automotivos;

- Veículos automóveis de passageiro;

 

Produtos Importados (em ordem decrescente de quantidade)

- Trigo e centeio não moídos;

- Veículos automóveis para transporte de mercadorias;

- Veículos automóveis de passageiro;

- Energia elétrica - grande crescimento a partir de 2021;

 

Para mais dados e detalhes, é só clicar aqui e visitar os relatórios da Secretaria de Comércio Exterior.

 

Você já começou a sua revisão para o CACD 2022?

 

Para você que deseja fazer uma revisão verdadeiramente eficiente para o Concurso de Admissão à Carreira de Diplomata (CACD) deste ano, o Sapientia desenvolveu o Maratona 1ª Etapa CACD, um programa intensivo de revisão para o CACD 2022, no qual você poderá revisitar o conteúdo constante no edital de forma intensiva, prática e estratégica, priorizando os temas mais recorrentes e atuais, visando a primeira fase do concurso. Curtiu a ideia?

 >>> Conheça mais sobre o Maratona 1ª Etapa CACD 2022 clicando aqui.

Até a próxima!

 

sugestao-de-leitura-para-o-cacd-o-quinze

ARTIGOS RELACIONADOS