Seja Diplomata, Faça Sapientia Recorde de Aprovação no CACD

Matricule-se Agora

Conteúdo Sapiente

Complemente seu Estudo



Fatos Históricos

62 anos da Sudene

62 anos da Sudene

Conteúdo postado em 19/05/2021

Olá, sapientes!

 

Para quem ainda não sabe, em 2020, comemoramos o centenário de Celso Furtado, um nome bastante conhecido entre os ceacedistas. Sendo assim, não poderíamos deixar de lembrar desse grande economista e intelectual brasileiro, né? É por isso que vamos falar sobre um de seus projetos, a Sudene.

 

Criação da Sudene

 

A Sudene (Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste) foi criada em 1959, durante o governo de Juscelino Kubitschek, pela Lei no 3.692. A iniciativa foi uma resposta à industrialização e urbanização do país, que expunha as desigualdades crescentes entre as regiões.

 

Antes da Sudene começar a atuar em prol do combate às vulnerabilidades do Nordeste, foi necessário primeiro definir o espaço que passaria a ser entendido como Nordeste para facilitar a formulação da política pública. Assim, os estados do Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia e parte de Minas Gerais passaram a ficar sob a jurisdição da instituição, formando um conjunto que compreende 18,4% do território e 30% da população brasileira nos anos 1980.

 

A Sudene foi idealizada por Furtado para ser uma autarquia subordinada diretamente à Presidência da República. Dando maior autonomia a esse organismo, o economista tentava evitar a ingerência das oligarquias locais, uma vez que, juntamente com a seca de 1958, que intensificou o êxodo rural para o sudeste, as denúncias dos escândalos da "indústria das secas", que vinham corrompendo a atuação do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS), eram apontadas como uma das causas para a criação da Sudene.

 

O caminho até o fim da Sudene

 

Furtado também ficou à frente da secretaria executiva dessa autarquia entre 1959 a 1964, sendo responsável pela formulação do planejamento de atuação para os primeiros anos do órgão. Com a saída dele da secretaria em 1964, a Sudene passou a fazer parte do novo Ministério do Interior, perdendo autonomia e recursos. 

 

Nos anos seguintes, a Sudene foi gradualmente perdendo relevância, até que, em 2001, essa instituição deixou de existir. Entre os motivos da desmobilização da Sudene, mesmo com a sua inegável importância, estão as diversas denúncias de clientelismo semelhantes às que tinham ocorrido com o DNOCS e com a Inspetoria de Obras Contra as Secas, antes dele.

 

O sociólogo Francisco de Oliveira explica que a Sudene não foi capaz de resolver os problemas estruturais da região, tendo grande parte dos projetos idealizados pela instituição beneficiando, na prática, mais os usineiros e exportadores de produtos agrícolas que os pequenos produtores da agricultura familiar, foco inicial da instituição.

 

 

Quer se tornar um diplomata, mas não sabe por onde começar?

 

Para auxiliar você que está começando os preparos para o Concurso de Admissão à Carreira de Diplomata (CACD) mas ainda não sabe qual é o curso mais indicado para o que você precisa, o Sapientia oferece uma Orientação Pedagógica Individual 100% à distância e gratuita. Quer saber como ela funciona? É simples! Com base em uma análise do seu perfil, o time de cuidados do Curso Sapientia esclarece suas dúvidas sobre planejamento para o Concurso do Itamaraty e indica o programa de estudos que melhor se encaixa nas suas necessidades. 

 

 

 >>> Saiba mais sobre a nossa orientação 100% gratuita clicando aqui.

 

 

Bons estudos!

 

 

sugestao-de-leitura-para-o-cacd-o-quinze

ARTIGOS RELACIONADOS