Seja Diplomata, Faça Sapientia Recorde de Aprovação no CACD

Matricule-se Agora

Conteúdo Sapiente

Complemente seu Estudo



Quero ser Diplomata, e agora?

Os setores de uma Embaixada do Brasil

Os setores de uma Embaixada do Brasil

Olá, Sapientes!

 

Quando a gente se pega pensando sobre nosso futuro trabalho como diplomata, é normal que fiquemos divagando acerca de qual atividade gostaríamos de desempenhar, quando fôssemos removidos para o exterior, concordam? Mas aí bate aquela curiosidade e a gente se pergunta qual seria exatamente o trabalho de um diplomata dentro de uma Embaixada. É pensando nisso que o post de hoje vai matar um pouquinho dessa curiosidade e revelar alguns detalhes sobre o trabalho realizado por um diplomata fora do Brasil. Vamos lá?

 

Bom, para entender um pouco mais sobre a atividade diplomática no exterior, é importante que recordemos a diferença entre trabalhar em um Consulado e em uma Embaixada, assim como tratamos um pouco melhor neste post aqui. Mas, em resumo, enquanto o Consulado está mais voltado para o suporte aos cidadãos brasileiros, a Embaixada se encarrega de ações que possuam função de representação política.

 

O trabalho de um diplomata em uma Embaixada é desempenhado de acordo com o setor em que ele se encontra. Podemos que dizer que as áreas macro de um Embaixada são os setores político, econômico, cultural e administrativo, sendo cada um com suas especificidades e respectivas subdivisões.

 

O setor político vai ser aquele à frente das políticas governamentais relacionadas ao país onde a Embaixada se localiza. É possível, ainda, que o setor responda pelas políticas governamentais de outros países, com os quais o Brasil mantenha relações diplomáticas, mas não possuam representação brasileira. Assim, diariamente, serão emitidos relatórios que explicitem as decisões políticas tomadas pela Embaixada e que forneçam subsídios contendo informações e interpretações locais para investidas governamentais naquele país.

 

O setor econômico, complementarmente, realiza um trabalho bastante semelhante ao do setor político, porém com um viés econômico, como já é de se esperar. Seu trabalho será o de acompanhar, interpretar e relatar os fatos e acontecimentos econômicos naquele país, fornecendo, mais uma vez, subsídios para ações do governo brasileiro naquela localidade. Há, ainda, o setor de promoção comercial, dentro do setor econômico, que está à frente da promoção da exportação de produtos brasileiros e da atração de investimentos para o Brasil.

 

Já o setor cultural é responsável por promover a cultura brasileira no país em que esteja sediado, seja na área artística ou acadêmica. É possível que se atue com a viabilização da ida de artistas brasileiros para aquele país e, também, com a promoção de parcerias acadêmicas que levem estudantes brasileiros para estudarem em instituições daquela localidade.

 

Por último e não menos importante, o setor administrativo atua na estrutura da Embaixada, efetuando trabalhos que estejam relacionados aos recursos humanos, às finanças e à logística, afinal, a Embaixada é um órgão que precisa ser administrado para propiciar, aos demais setores, a execução de suas funções. Sem o trabalho burocrático, não há a devida prestação do serviço público, não é verdade?

 

E aí, ser diplomata é o seu objetivo de vida?

 

Então não perca a oportunidade de estudar com a gente. Se você está começando seus estudos para o CACD agora, o Sapientia oferece o Curso Regular Extensivo, com orientações passo a passo acerca de todo o conteúdo necessário a ser estudado e a bibliografia indicada para cada item do edital. Sem contar que as aulas são on-line e 100% inéditas, com plantão de dúvidas diretamente com nosso time de experts e material em PDF disponibilizado aos alunos. Curtiu? Vem com a gente!

 

>>> Saiba mais sobre o nosso curso regular clicando aqui.

 

Até a próxima!

 

CACD-diplomata-itamaraty-diplomacia-os-setores-de-uma-embaixada-do-brasil

ARTIGOS RELACIONADOS