Seja Diplomata, Faça Sapientia Recorde de Aprovação no CACD

Matricule-se Agora

Conteúdo Sapiente

Complemente seu Estudo



Fatos Históricos

Quem são os brasiguaios?

Quem são os brasiguaios?

Conteúdo postado em 29/09/2021

Olá, sapientes!

 

Já ouviram falar nos “brasiguaios”? Esse termo dos anos 1980 faz referência àqueles brasileiros que vivem de desenvolver a agropecuária na região de fronteira entre o Brasil e o Paraguai. Mas vocês sabem como eles foram parar lá? Isso tudo tem a ver com as transformações decorrentes do desenvolvimento do Brasil nos anos 1970. 

 

Os anos 1970 marcaram a história brasileira

 

A partir dessa década houve uma explosão demográfica, consequência da queda da mortalidade e da urbanização do país. Foi nessa década que o número de habitantes morando em cidades passou a ser superior ao número dos habitantes da zona rural. Nisso tudo, a região sul também não ficou de fora dessa onda de transformações que ocorriam no país.

 

Até 1970, o processo de migração interna no território brasileiro tinha como principais destinos a região Sul e, especialmente, a região Sudeste. Posteriormente, no entanto, o mercado de trabalho no sudeste começou a dar sinais de saturação,  e no Sul a concentração fundiária dificultava a situação dos produtores. O preço da terra havia subido, as divisões de herança enfraquecem os negócios familiares e o alagamento de terras pela construção da Hidroelétrica de Itaipu estão entre os fatores que impulsionaram a migração de parte da população sulina. 

 

Grande parte dos migrantes para a região Centro-Oeste e do Matopiba, como parte do projeto da ditadura militar de ocupação do interior do país, assim como para a fronteira com o Paraguai, era proveniente da região Sul. As pesquisas do IBGE mostram que do total dos brasileiros em território paraguaio, cerca de 93% são originários dos três Estados do Sul do Brasil.

 

Migrações de brasileiros para a fronteira com o Paraguai

 

As migrações de brasileiros para a fronteira com o Paraguai já vinham ocorrendo desde, pelo menos, a década de 1950, mas, no momento em questão, essas migrações eram impulsionadas pelo incentivo do governo para a ocupação da zona de fronteira com o Paraguai e para a área a oeste do Paraná, com terras mais baratas, já que a política da ditadura militar visava garantir a unidade e segurança nacional. Paralelamente, o governo paraguaio e o Banco Nacional de Fomento do Paraguai asseguravam baixos impostos e créditos de longo prazo para os produtores que se estabelecessem na zona de fronteira.

 

É assim que surgem os brasiguaios

 

Apesar dos conflitos que essa migração gerou, tanto brasileiros quanto paraguaios foram beneficiados com esse movimento. São os brasiguaios os responsáveis por levar as técnicas de cultivo de soja para o Paraguai, possibilitando o boom da soja que ocorreu nesse país nos anos 1990, que gerou, como resposta do governo do Paraná, a política de impedir a exportação de soja transgênica em seus portos nessa década. Além disso, atualmente, o Paraguai é o quarto maior exportador de soja no mundo, usando o Corredor de Exportação Leste do Porto de Paranaguá para escoar sua produção, o que é bastante importante para a economia dos dois países. 

 

Ainda assim, a soja do Paraguai depende da circulação rodoviária, o que gera maior custo e menor competitividade em relação à soja do Brasil. A hidrovia do rio Paraguai é apresentada como uma boa alternativa para o escoamento de soja paraguaia, já que gera maior competitividade ao Paraguai, porém ainda é necessário um maior investimento em infraestrutura para que a hidrovia possa ser utilizada em sua total potencialidade. Além disso, do lado brasileiro, a bacia do Paraguai não é utilizada como hidrovia por causa de dificuldades com o transporte no pantanal e por impedimentos da legislação ambiental.

 

De todo modo, fica evidente como esse fluxo migratório marcou a economia tanto do Brasil quanto do  Paraguai, não é mesmo? 

 

Ser diplomata está em seus planos?

 

Para você que está começando agora sua preparação para o Concurso de Admissão à Carreira de Diplomata (CACD) e também para você que já se prepara há algum tempo e busca uma estratégia de estudos dinâmica e eficiente, o Sapientia desenvolveu a Trilha Regular Extensiva (TRE), um programa completo pensado para otimizar sua preparação, perpassando todos os itens do edital do concurso de forma sólida e pragmática. A TRE utiliza o que há de melhor dos recursos multimídia para unir teoria, prática e aprofundamento para te auxiliar a atingir um ótimo resultado no Concurso da Diplomacia. Curtiu a ideia?

 

 >>> Conheça mais sobre nosso curso regular clicando aqui.

 

Até a próxima!

 

sugestao-de-leitura-para-o-cacd-o-quinze

ARTIGOS RELACIONADOS