Seja Diplomata, Faça Sapientia Recorde de Aprovação no CACD

Matricule-se Agora

Conteúdo Sapiente

Complemente seu Estudo



Sugestão de Leitura

Sugestão de leitura para o CACD: Triste fim de Policarpo Quaresma

Sugestão de leitura para o CACD: Triste fim de Policarpo Quaresma

Conteúdo postado em 31/01/2020

Olá, sapientes!

 

A sugestão de leitura dessa semana é o romance pré-modernista Triste fim de Policarpo Quaresma, publicado primeiro em folhetim, a partir de 1911, e em livro em 1915. Trata-se de uma sátira quase trágica sobre as contradições da sociedade brasileira em relação ao patriotismo — principalmente durante a Primeira República, quando o livro foi escrito. O livro conta a história do quixotesco Major Quaresma, um nacionalista exaltado e defensor da cultura brasileira que começa a propor reformas radicais para o país.

A euforia de Quaresma em relação a identidade brasileira não é entendida pelas pessoas que o cercam. Mas a situação começa a ficar crítica para o Major quando ele propõe no Congresso Nacional a adoção do tupi como língua oficial do Brasil e acaba sendo enviado para um sanatório. O que Lima Barreto quer mostrar com essa obra é que, mesmo a pátria pedindo por um verdadeiro patriota, quando alguém como Policarpo Quaresma surge, a sociedade o exclui e reprime por ser diferente.


A literatura pré-modernista para o CACD

O autor, Lima Barreto (1881-1922), é identificado como pré-modernista por sua escrita simples e coloquial, com a finalidade de conscientizar as camadas populares sobre os mecanismos de dominação social, objetivo que só será buscado com maior intensidade na literatura brasileira a partir dos autores modernistas.

 

O sarcasmo e crítica à falsa ciência, à hipocrisia, e ao comportamento da sociedade são fatores recorrentes na literatura de Lima Barreto, um jornalista que foi constantemente vítima de preconceito social e racial. 

 

A sua obra é formada por romances (Recordações do escrivão Isaías Caminha, Triste fim de Policarpo Quaresma, Numa e a ninfa, Vida e morte de M.J.Gonzaga de Sá, Clara dos Anjos), contos (Histórias e sonhos, Contos argelinos), sátiras (Os Bruzundangas), além de narrativas memorialistas (Diário íntimo), crônicas (Bagatelas, Feiras e mafuás, Marginália, Coisas do reino do Jambom, Vida urbana) e crítica literária (Impressões de leitura), que ainda hoje permanecem em certa obscuridade, apesar da qualidade crítica. 

 

Os clássicos de Lima Barreto são facilmente encontrados em PDF na internet e podem ser usados como uma deliciosa forma de descansar mesmo continuando a estudar para o CACD.

 

Se tornar um diplomata é o seu objetivo?


Para você que está começando agora sua preparação para o CACD e também para você que já se prepara há algum tempo e busca uma estratégia de estudos dinâmica e eficiente, o Sapientia acaba de lançar a Trilha Regular Extensiva (TRE), um programa pensado para otimizar sua preparação, perpassando todos os itens do edital do concurso de forma sólida e pragmática. A TRE utiliza o que há de melhor dos recursos multimídia para unir teoria, prática e aprofundamento. Curtiu a ideia?

 >>> Conheça mais sobre nosso mais novo curso regular clicando aqui.

Bons estudos!

 

sugestao-de-leitura-para-o-cacd-o-quinze

ARTIGOS RELACIONADOS