Seja Diplomata, Faça Sapientia Recorde de Aprovação no CACD

Matricule-se Agora

Conteúdo Sapiente

Complemente seu Estudo



Fatos Históricos

Quem foi Artigas?

Quem foi Artigas?

Conteúdo postado em 17/11/2021

Olá, sapientes!

 

Mais cedo ou mais tarde, todo ceacedista irá se deparar com o nome de Artigas. E, para dar um empurrãozinho e facilitar nos estudos sobre as tensões no Prata, vamos contar um pouco sobre quem foi esse caudilho uruguaio. Chegou a hora de conhecer essa figura que marcou presença na história das relações internacionais do Brasil!

 

Líder da resistência republicana

 

José Gervasio Artigas foi o líder da resistência republicana contra as forças da Espanha no que então era conhecido como Banda Oriental. Esse caudilho do “campo” começou a ganhar destaque como líder emancipacionista já no início da Revolução de Maio de 1810, como ficou conhecido o processo de independência das províncias do Vice-Reino do Rio da Prata, que hoje são Argentina, Bolívia, Uruguai e Paraguai.

 

Naquele momento, enquanto os monarquistas ainda continuavam no poder no porto de Montevidéu, Artigas vinha ganhando a independência das outras províncias da Banda Oriental com o apoio de Buenos Aires. Na realidade, Buenos Aires tinha em plano incorporar o Uruguai para voltar a ter as dimensões que tinha durante o vice-reino do Prata, mas o caudilho “uruguaio” só queria mesmo a independência. 

 

Incorporar a região de Sete Povos das Missões

 

Nisso tudo, o governo imperial brasileiro observava os independentistas com desconfiança. Principalmente, porque um dos objetivos de Artigas era incorporar a região de Sete Povos das Missões, que considerava posse histórica da Banda Oriental e que estava sob o domínio do império português desde a Guerra das Laranjas, em 1801. Sem falar que Artigas inspirava a revolta dos rebeldes gaúchos e dos escravos negros, além de ter conseguido o apoio dos indígenas guaranis de Missões, que passaram a integrar seu exército. 

 

Não é de se surpreender que, a pedido do Vice?Rei espanhol Xavier Elío, as tropas imperiais luso-brasileiras tenham ido em socorro dos espanhóis em Montevidéu em 1811. No entanto, mesmo com o apoio de Portugal, após um breve momento de trégua, os espanhóis perderam o conflito e Artigas conseguiu a tão desejada independência. Assim, Artigas assumiu o poder da Província Oriental em 1815, mas não por tantos anos quanto gostaria...

 

Primeira Guerra da Cisplatina

 

Pouco tempo depois, em 1817, os  portugueses invadiram e ocuparam novamente a região que posteriormente seria convertida em Uruguai. Esse episódio ficou conhecido como Primeira Guerra da Cisplatina ou também como a Guerra contra Artigas, e teve como resultado a vitória dos luso-brasileiros em 1820. Consequentemente, com a derrota, Artigas foi enviado para o exílio no Paraguai e a Banda Oriental foi anexada oficialmente, em 1821, ao Reino do Brasil sob o nome de Província da Cisplatina. Lembrando que o Brasil só será convertido em império no ano seguinte, com a declaração da independência em 1822.

 

Para terminar, é bom destacar que Artigas tinha uma identidade diferente do perfil do caudilho descrito tradicionalmente pela historiografia. Ele era uma figura de um caráter mais popular, com um projeto de transformação mais radical do que aquele pensado pelos outros caudilhos republicanos da Revolução de Maio. Uma pena que não teve tempo suficiente no poder para colocar suas reformas em ação.

 

 

E como eu me preparo para o CACD?

 

Para você que está começando agora sua preparação para o CACD e também para você que já se prepara há algum tempo e busca uma estratégia de estudos dinâmica e eficiente, o Sapientia desenvolveu a Trilha Regular Extensiva (TRE), um programa pensado para otimizar sua preparação, perpassando todos os itens do edital do concurso de forma sólida e pragmática. A TRE utiliza o que há de melhor dos recursos multimídia para unir teoria, prática e aprofundamento. Curtiu a ideia?

 

 >>> Conheça mais sobre nosso mais novo curso regular clicando aqui.

 

Até a próxima!

sugestao-de-leitura-para-o-cacd-o-quinze

ARTIGOS RELACIONADOS