Seja Diplomata, Faça Sapientia Recorde de Aprovação no CACD

Matricule-se Agora

Conteúdo Sapiente

Complemente seu Estudo



Atualidades

Relações entre o Brasil e a África

Relações entre o Brasil e a África

Conteúdo postado em 07/07/2021

Olá, sapientes!

 

Os laços entre o Brasil e a África remetem à nossa história colonial, mas essa relação não terminou com a independência! Ainda hoje, os países africanos são importantes parceiros comerciais e políticos do Brasil. Que tal, então, entendermos melhor como se encontra esse relacionamento atualmente? Vamos lá!

 

O Brasil como maior exportador de carne halal

 

Os principais compradores de produtos brasileiros são, em ordem, Egito, Argélia, África do Sul e Marrocos. Dentre os produtos que exportamos, o principal é a carne halal, uma carne que passa pelo procedimento de abate e que respeita as determinações da Sharia, a lei islâmica. Ah! Em relação a esse produto, somos o maior exportador de carne halal, não só para a África como para todo o mundo.

 

Entre os importados vindos dos países africanos, compramos, principalmente, petróleo e fertilizantes nitrogenados (nesse caso, majoritariamente, da Argélia, Marrocos e Rússia também, apesar de não ser um país africano...). É bom ter em mente que o comércio brasileiro com esse continente quintuplicou entre 2002 e 2014 (de US 5 bi para US 26bi), mas decaiu após a crise econômica afetar os principais parceiros e, posteriormente, por causa dos efeitos da pandemia e da queda no valor do petróleo, chegando a US$11,5 bi em 2020.

 

Agora, que tal vermos um resuminho sobre a relação com os países mais importantes para o Brasil?

 

Nigéria

O Brasil foi um dos primeiros países a reconhecer a independência desse território, em 1960. Hoje, os dois países mantêm um diálogo de alto nível. Um sinal da importância da Nigéria para o Brasil são as visitas que esse país recebeu: o chanceler Mário Gibson Barbosa, no primeiro périplo arfricano; Figueiredo; duas visitas de Lula e uma de Dilma. Aloysio Nunes e Ernesto Araújo visitaram o país. 

 

Em 2005, os dois países idealizaram a cúpula América do Sul-África, ou cúpula ASA, um mecanismo de estímulo à cooperação Sul-Sul. 

 

Em termos comerciais, a Nigéria foi o principal parceiro comercial do Brasil até 2014, quando o comércio entre esses países chegou a 10 bilhões de dólares. Em 2020, o comércio caiu para cerca de apenas 1 bilhão. Nessa relação, o Brasil é tradicionalmente deficitário, já que costuma importar petróleo, fertilizante e gás natural, no entanto, o país obteve superávit em 2020, exportando majoritariamente açúcar.  

 

Angola

O Brasil foi o primeiro país do  mundo a reconhecer a independência e o governo de esquerda do MPLA na Angola em 1975, antes mesmo de Portugal.

 

Nos anos 1990, o Brasil teve participação em três missões de paz na Angola: UNAVEM I (1989-1991), UNAVEM II (1991-1995), UNAVEM III(1995-1997). Em relação à agenda de segurança, o Brasil, ainda hoje, participa em uma cooperação em defesa do Golfo da Guiné contra a pirataria que ocorre nas águas dessa região.

 

A Angola é o principal destino de investimentos brasileiros na África, com acordo de cooperação e facilitação de investimentos ratificado em 2015, obras de investimento financiadas pelo BNDES (rodovias, hidrelétricas, usina de etanol) e presença da Petrobrás para exploração de petróleo. Isso só é possível porque a Angola é um dos únicos países que têm voos diretos com o Brasil (SP/RJ-Luanda) na África. Os outros que também têm essa vantagem são Egito, Marrocos, Etiópia, Cabo Verde e África do Sul. A dificuldade de transporte aéreo, na verdade, é um dos desafios para aumentar as relações com a África.

 

Moçambique 

Um fato importante para se lembrar foi o apoio brasileiro ao acordo de paz e reconciliação de 2019 entre os grupos políticos de Moçambique, um instrumento de solidificação da paz após o fim da guerra civil nesse país.

 

O Brasil participa, em cooperação com Moçambique, em diversas áreas, sendo as mais importantes a da saúde, com a instalação de um escritório de Fiocruz e uma fábrica de antirretrovirais no país; e agricultura, com o programa Prosavana, uma cooperação que tem a participação também do Japão. Essa cooperação trilateral tem a finalidade de fazer algo semelhante ao que foi desenvolvido com o apoio técnico do Japão no centro-oeste brasileiro nos anos 1970.

 

Em relação à agenda comercial, o Brasil é um grande investidor em mineração, com a Vale atuando fortemente em Moçambique. Essa parceria é justificada pelo fato de o país ter a segunda maior mina de carvão do mundo.

 

E como eu me preparo para o CACD?

 

Para você que está começando agora sua preparação para o CACD e também para você que já se prepara há algum tempo e busca uma estratégia de estudos dinâmica e eficiente, o Sapientia acaba de lançar a Trilha Regular Extensiva (TRE), um programa pensado para otimizar sua preparação, perpassando todos os itens do edital do concurso de forma sólida e pragmática. A TRE utiliza o que há de melhor dos recursos multimídia para unir teoria, prática e aprofundamento. Curtiu a ideia?

 

 >>> Conheça mais sobre nosso mais novo curso regular clicando aqui.

 

Fiquem saudáveis e até a próxima!

sugestao-de-leitura-para-o-cacd-o-quinze

ARTIGOS RELACIONADOS