Seja Diplomata, Faça Sapientia Recorde de Aprovação no CACD

Matricule-se Agora

Conteúdo Sapiente

Complemente seu Estudo



Atualidades

Relações Sino-japonesas

Relações Sino-japonesas

Conteúdo postado em 27/05/2020

Olá, sapientes!

 

Compreender as relações desses dois maiores atores da Ásia é essencial para entender a dinâmica e a história dessa região, então, para facilitar a preparação para o CACD, não podíamos deixar essa temática de fora. Vamos lá? 

 

A história entre Japão e China

 

A história recente das relações entre o Japão e a China é cheia de idas e vindas. Em 1902, quando o Japão derrota a Rússia czarista e consolida o status de potências, a China inicia uma forte aproximação com o país, que se tornou, naquele período, uma espécie de influenciador cultural da China.

 

Posteriormente, com o fim da Segunda Guerra Mundial, após o período do expansionismo japonês, com a ocupação da Manchúria (1931), e das atrocidades da Guerra do Pacífico, o Japão assumiu uma dívida da História, que reaproximou as duas potências. Por exemplo, na cúpula de Houston do G-7 (1990), o Japão defendeu a China contra os interesses dos país de industrialização antiga, anunciando sua decisão de reiniciar a ajuda financeira às reformas chinesas.

 

No entanto, as coisas vêm mudando…

 

Desde, pelo menos, 2015, o Japão vem revertendo sua política pacifista e de apoio à China. Nesse ano, o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, aprovou uma série de alterações legais que permitem a ampliação do uso da força pelo país. A mudança na política é vista como uma consequência do crescimento do poder da China e como uma resposta aos testes de mísseis balísticos realizados pela Coreia do Norte (que atravessaram o território japonês em 2017), sem falar na recente demanda dos Estados Unidos por um maior engajamento de seu principal aliado na região.

 

A disputa entre China e o Japão no Mar da China Oriental já não é mais novidade. Desde 2012, a China reivindica as Ilhas Senkaku, que estão sob administração japonesa desde 1895. São frequentes as incursões marítimas na região feitas por chineses, gerando o reforço da capacidade militar japonesa nas ilhas.

 

Cuidado para não confundir o litígio nas ilhas Senkaku com a questão no mar do sul da China. Neste caso, a China disputa a extensão do seu mar territorial com Malásia, Vietnã, Taiwan, Filipinas e Brunei, que também afirmam ter direitos sobre essas águas. O contencioso é importante para o Japão, e também para a Índia, pois abre espaço para maior influência nos países da região e nas parcerias com a Asean, composta por Indonésia, Malásia, Filipinas, Cingapura e Tailândia, desde 1967; e, posteriormente, Brunei, Vietnã, Mianmar, Laos e Camboja.

 

O comércio com esses países é essencial para Tóquio fazer frente ao projeto de influência global de Pequim, a “Nova Rota da Seda” (One belt one road). A resposta do Japão não poderia ser outra: uma busca pelo fortalecimento militar; pela diversificação de parcerias, especialmente fortalecendo as relações com os Estados Unidos; e por um projeto alternativo para a Ásia, no qual defende valores liberais e a cooperação para a formação de uma região Indo-Pacífica livre e aberta.

 

Quer se tornar um diplomata, mas não sabe por onde começar?

 

Para auxiliar você que está começando os preparos para o Concurso de Admissão à Carreira de Diplomata (CACD) mas ainda não sabe qual é o curso mais indicado para o que você precisa, o Sapientia oferece uma Orientação Pedagógica Individual 100% à distância e gratuita. Quer saber como ela funciona? É simples! Com base em uma análise do seu perfil, o time de cuidados do Curso Sapientia esclarece suas dúvidas sobre planejamento para o Concurso do Itamaraty e indica o programa de estudos que melhor se encaixa nas suas necessidades. 

 

 

 >>> Saiba mais sobre a nossa orientação 100% gratuita clicando aqui.

 

 

Bons estudos!

sugestao-de-leitura-para-o-cacd-o-quinze

ARTIGOS RELACIONADOS